quarta-feira, 13 de maio de 2009

Se deus não existe, quem criou tudo?

Não sei. Nem eu, nem você, nem a ciência ou o papa. É claro que é o maior mistério da vida, da história, do universo, mas o fato de não sabermos a explicação não pode virar motivo para que tenha sido um deus, um criador divino. Eu, sempre, prefiro seguir a evolução da ciência, que de Einstein para cá passou a acreditar que a resposta mora na relatividade do tempo, ou na impossibilidade total de se precisar conceitos como "sempre" ou "nunca". A maioria das pessoas acha mais fácil acreditar que foi um senhor barbado que fez tudo em 6 dias e, santa contradição, descansou no sétimo. Por que diabos (ops!) um ser onipontente, oniciente, etc e tal, se cansa??
Olha, se você acredita nesse deus: já pensou alguma vez em sua origem, de onde ele veio?
Podemos imaginar duas respostas: ou alguém (outro deus?) o criou ou ele sempre existiu.
A primeira diz: se há criatura tem que haver um criador. Mas seguindo adiante nesse raciocínio nos deparamos com o dilema: quem seria poderoso a ponto de criar um deus que não outro deus? Mas porque um deus criaria um sucessor sendo ele mesmo eterno?
Como isso não faz sentido suponho que você, como as reiligiões, acredite que deus sempre existiu, jamais foi criado e é, sim, o criador de tudo.
Eu também acredito em algo que sempre existiu mas antes de entrar nessa discussão eu proponho que se defina o que entendemos por... "sempre".
O que queremos dizer quando afirmamos que algo ou alguém "sempre" existiu?
O conceito de tempo para nós humanos terráqueos está relacionado a fenomenos físicos, que não existiam antes da criação (seja ela qual for: Big Bang ou a divina semana da criação).
Se não havia universo não havia sol não havia terra e não havia ano, nem dia, nem hora. Não havia o tempo e sem ele os conceitos de "sempre" e "nunca" não fazem qualquer sentido. Toda a matéria que forma nosso universo pode ter expandido e contraido infinitas vezes em infinitos bigbangs, sem que tenha havido um momento que possa ser definido como o da criação. Assim, poderíamos afirmar que o carbono, o oxigênio, hidrogênio, helio... "sempre" existiram.
Se podemos acreditar que um deus possa ter "sempre" existido... não haverá argumentos contra crer o mesmo em relação à matéria. Se deus pode porque o atómo de carbono não poderia?
A ciência hoje afirma que o Big Bang é a explicação mais provavel e teria ocorrido cerca de 13 bilhões de anos atrás. Mas, antes dele, supoe-se que toda a matéria desse universo já possa ter expandido e contraido (infinitas?) vezes, de tal forma que sua origem - na ausencia do tempo como o entendemos - teria que ser descrita também como "sempre existiu". O que não aceito é que, na ausencia de uma resposta final da ciência, tenhamos que simplesmente atribuir tudo a um deus. Essa é e sempre foi a explicação mais fácil, mas não a mais lógica.
Se você quiser continuar acreditando em deus, respeito. Mas cada vez mais me convenço que estamos sós, somos filhos do acaso e ao que tudo indica não duraremos para sempre.
Ah, e acho que quando morreu, acabou.
Brrrr. A idéia dá frio na espinha, reconheço. Mas a verdade universal com certeza não escolheu minha espinha dorsal para manifestar-se para nós, prefiro acreditar nas evidências.

Um comentário:

  1. Guilherme Ribeiro3 de agosto de 2009 17:40

    Outra pergunta muito boa, mas essa para os Teístas, seria:
    Partindo do princípio que Deus existe e criou tudo, qual seria a razão para ele ter criado tudo, todo o universo, todas as leis da física, os elementos químicos e etc?? tudo isso simplesmente para criar em um microplanetinha (sim é isso que somos) e nele desenvolver a vida para os seres humanos e com eles ficar brincando de marionetes?? Ou será que existe algum motivo mais claro para isso tudo??

    ResponderExcluir