domingo, 30 de dezembro de 2012

Iemanjá? Pelo amor do seu deus, me poupe!



Já começou o tsunami de bobagens que são ditas e escritas nessa época do ano sobre as tolices relacionadas à "rainha do mar".
É impressionante ver pessoas inteligentes e cultas que acreditam que existe mesmo uma deusa no mar que troca oferendas por favores e proteções.
Será ela rainha de todos os mares ou só dos nossos?
Mar Negro, Mar do Norte, Mar de Marmara, será que a nossa bondosa sereia manda por lá também?
Oceanos estão incluidos? Teria ela poder em todo o planeta?
E qual seria a oferenda certa?
Se eu puser poucas flores e muita comida ou muita flor e algumas fitas do senhor do bonfim...será que serei atendido na mesma forma? 

Como ela faz a seleção , terá ela uma equipe de anjinhos que analisa as ofertas, pondera o tamanho do favor pedido e passa a lista dos aprovados para a sereia atender?

Uma dúvida cruel:  se eu pular 6 ondinhas e não sete...será que ela me dá um desconto e me atende mesmo assim?

Quando você tenta convencer alguém da falsidade de algo que lhe faz bem em geral a pessoa dispensa a lógica e prefere ficar com o beneficio emocional.

Como dizem... entre a verdade e a lenda, imprima-se a lenda, disso vivem todas as religiões, crendices, pseudo-ciências, superstições, etc.
Mas...Iemanjá não dá!

11 comentários:

  1. O blog não estava de férias Lineu?
    E esse negócio de superstições de fim de ano ou qualquer outra coisa similar é pura idiotice(me desculpe quem for supersticioso), mas levar a sério bobagens como essa é no mínimo risível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O blog esta voltando das ferias...de leve...
      As pessoas acreditam e seguem muitas bobagens nesta época: comer romã, usar roupa branca, etc...não percebem que para ter um ano novo bom a formula é simples: esforço!

      Excluir
  2. Muito bem Lineu, aí está a palavrinha mágica: esforço.

    ResponderExcluir
  3. Cara eu não entendo isto: o país é catolico, mas acredita numa deusa africana-americana. Ai eles tem um mandamento de nao adorar outros deuses, mas ai eles negam nesta hora. não vem me dizer q todos os adoradores de Iemanja são macumbeiros que nao são.
    Ai eu pego a minha mãe que é catolica, faz oferenda pra iemanja, devota de são jorge e que lê os livros do chico xavier!
    Ai ela diz para mim que a teoria do big bang nao faz sentido.

    ResponderExcluir
  4. Passei o fim de ano na praia, não tenho o costume, fui levada. Em poucas ocasiões antes disso, eu me senti tão envergonhada de ser humana. Pessoas pulando ondas e andando de costas... espelhos, sabonetes, perfumes, flores, sendo despejadas em um mar, já não muito limpo, um cara todo contorcido pulando em pé só e falando em um dialeto esquisito... me senti anormal no meio de toda aquela esquisitície. Sério mesmo, fiquei com medo do cara retorcido, pedi pra ir embora, mas passou, não sei se ele percebeu que estava fazendo papel ridiculo ou se a farsa tem tempo marcado, só sei que as pessoas em volta dele pareciam tão esquisitas quanto ele, sai de perto o mais rápido que consegui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é muito ridículo...mas faz parte dos mesmos processos de quem nao pega saleiro da mão dos outros ou não passa sob escadas. Mas oferecer presentinhos para uma deusa dos mares ganha de todas.

      Excluir
  5. Chamouth, católico não é aquele que, simplesmente, se diz católico, mas aquele que conhece a doutrina, que frequenta a missa aos domingos, e sabe o significado dela; esse, decididamente, não frequenta macumba.
    Eu tinha uma tia e uma avó que se diziam católicas (já faleceram), mas raramente frequentavam a missa e não conheciam quase nada da doutrina católica. E sabe o que elas diziam quando alguém perguntava qual era a religião delas ? "Sou católica". O Brasil é um país mais espírita, mais umbandista do que católico...
    Quando chega fim de ano sempre reparo nas missas que há pessoas estranhas (algumas vestidas de branco), as quais eu nunca vi antes; chegam quase sempre no meio da missa e saem antes de acabar, não prestam atenção às leituras e parecem mais preocupadas em circular dentro da Igreja.

    Iemanjá é uma caricatura de Maria (Nossa Senhora), mãe de Jesus, que por sinal não é adorada como deusa pelos católicos, que a consideram e a estimam como sua própria mãe, não como deusa... Deus é um só (o criador), e Maria é criatura (amada e honrada) como nós. Portanto, o mandamento de 'não adorar outros deuses' é cumprido fielmente por aquele que conhece e pratica a doutrina da Igreja Fundada por Jesus Cristo, a Igreja Católica AQpostólica Romana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Maria e Iemanjá são bem diferentes, enquanto uma pede flores, comidinhas e pulos em ondinhas a outra prefere promessas, gente andando de joelhos, rezando terços e carregando suas estatuetas em procissões.

      Excluir
    2. iemanjá é fruto do povo que os portugueses católicos trouxeram á força pro brasil, é claro,com o bondoso papai celestial assistindo a tudo de camarote.

      Excluir
  6. Que eu saiba, Maria não pede que ninguém ande de joelhos, mas o povo agradecido faz assim por muitas graças alcançadas. O terço certamente ela pede, e muito. Diferentemente de "pular ondinhas", "levar comidinhas e flores, pinga, cachaça", o terço é uma oração de meditação nos mistérios da vinda de Jesus ao mundo, para a qual Maria foi a Porta, em tudo o que Ele passou para nos comunicar a vida e, por fim, na sua ressurreição gloriosa. São os mistérios gozosos, os dolorosos e os gloriosos. Enquanto vamos recitando as Ave Marias, vamos meditando as passagens da bíblia que narram esses mistérios. Por isso a oração do terço é, antes de tudo, Cristocêntrica. Na verdade, oramos mais COM MARIA do que PARA MARIA, ou seja, unidos com a nossa Amada e Honrada Mãe, nos dirigimos a Jesus. Isto é completamente diferente de Iemanjá... há um abismo profundo entre as duas coisas.
    Quanto as "estatuetas", são apenas ícones, representações daquela a quem muito amamos. São como fotografias de nossas mães, só que não ficam nas mesinhas de cabeceira, mas as colocamos no alto e em público para externar o nosso mais profundo respeito, amor e admiração por aquela a quem muito honramos e veneramos (não adoramos).
    É isso ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que historinha bonitinha, parece novela das seis....

      Excluir